O deputado cassado e ex-presidente da Câmara Eduardo Cunha (PMDB-RJ) leu para o juiz Sérgio Moro, durante depoimento nesta terça-feira (7), em Curitiba, uma carta na qual diz ter um aneurisma cerebral semelhante ao da mulher do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, a ex-primeira-dama Marisa Letícia, que morreu na última sexta-feira.

Na carta, Cunha argumenta que a prisão onde está, o Complexo Penal de Pinhais, não oferece condições adequadas para tratamento.

O depoimento durou mais de três horas e meia. Cunha chegou à sede da Justiça Federal de terno e gravata, abarrotado de documentos, com muitas anotações. Desde que está preso, o deputado cassado discute pessoalmente a linha de defesa com os advogados.
Cunha foi preso em 19 de outubro. Ele é réu na Operação Lava Jato, acusado pelo Ministério Público Federal (MPF) de ter recebido propina em contrato de Petrobras.